Rainha Nzinga Mbandi

Africa - Grupo Nzinga de Capoeira AngolaNzinga Mbandi Ngola, rainha de Matamba e Angola, viveu de 1581 a 1663 e representa resistência à ocupação do território africano pelos portugueses que lá aportaram para o tráfico de escravos.

A ocupação portuguesa naquela região começou em 1578 com a fundação da, hoje, Luanda, capital de Angola. O rei Ngola Kiluanji, pai de Nzinga, resistiu por muitos anos à invasão de seu território. Foi sucedido por seu filho Ngola Mbandi que, inicialmente, também impediu o avanço do comércio escravagista para o interior.

Nzinga auxiliou seu irmão negociando a devolução de territórios já ocupados pelos invasores. Mas depois não concordou com a submissão aos portugueses de vários chefes africanos, incluindo seu irmão, e, ordenando suas mortes, chegou ao comando de grupos de resistência à ocupação das terras de Ngola e Matamba.

Aliou-se a guerreiros jagas passando a atuar em quilombos, com espaços e táticas de guerra semelhantes aos utilizados por seu contemporâneo Zumbi dos Palmares em terras brasileiras.
Obteve vitórias e uma relativa paz até morrer aos 82 anos de idade.

Soba - Rainha Nzinga - Copeira angola

Fontes:
Carlos H. M. Serrano. Ginga, a rainha quilombola de Matamba e Angola. Revista USP nº 28, 1995/1996 (Dossiê Povo Negro - 300 Anos).
Selma Pantoja. Nzinga Mbandi: mulher, guerra e escravidão. Brasília: Thesaurus, 2000.
Ilustrações:
Nzinga, imagem adaptada do artigo de Carlos H.M. Serrano (acima).
Chefe africano, imagem adaptada de José Redinha. Distribuição étnica de Angola. 7 ed. Instituto de Investigação Científica de Angola, Centro de Informações e Turismo de Angola, 1971.

Leia Mais...

Posted in